LABÔ Lectures

Pensadores Judeus – Abrahan J. Heschel

Abraham Joshua Heschel (11/1/1907 – 23/12/1972) cresceu em ambiente religioso em Varsóvia, descendente de rebbes hassídicos. Admite que seu pensamento sofreu a influência de dois mestres com visões de mundo opostas: Baal Shem Tov e Menahem Mendel de Kotzk. Em 1927, Heschel vai para Berlim, onde realizará seus estudos acadêmicos e, durante a realização de seu doutorado, Hitler assume o poder. Com a ascensão nazista, tem início um período de grandes dificuldades para o pensador, desde o impedimento da publicação da tese, que garantiria seu diploma, até a fuga da Alemanha e a retomada de sua vida em outro país, com todas as perdas implicadas em tal situação. Em 1940, vai para Nova York, onde dá continuidade à sua atividade intelectual.

Suas publicações, incluindo sua tese de doutorado Die Prophetie, desafiavam as categorias convencionais usadas por eruditos da religião para interpretar a experiência religiosa. Sua crítica se dirige para o entendimento da devoção, da oração e da santidade como um fenômeno psicológico ou como algo irracional ou improdutivo. E é a partir desta crítica que ele constrói a sua obra e acaba compreendendo que a religião é uma resposta ao mistério do ser e do existir. Frente à indagação filosófica, ele apresenta a Torah como fonte na qual podemos encontrar preciosas informações sobre a grandeza do ser humano, de sua potencialidade e responsabilidade como sócio de Deus.

Palestra apresentada por Andréa Kogan e Maria Cristina Mariante Guarnieri
em 10 de agosto de 2021 (via Zoom)

Leia também