Estudos sobre morte e pós morte

A experiência real da morte é individual e solitária. O ser humano é o único que pode antever a morte e filosofar sobre ela. O também “estar presente” nestas situações (doenças, mortes, rituais do pós-morte) traz concretude a um pensamento que talvez “não é bom nem pensar”. A consciência da mortalidade é o que revela a verdade da vida. Estes assuntos estão sendo discutidos no grupo neste ano de 2020.

Coordenação:
Andréa Kogan
Formada em Letras (Português/Inglês) e é Doutora em Ciência da Religião pela PUC de São Paulo. Sua tese de doutorado foi transformada no livro “Espiritismo Judaico” (Editora Labrador). Desde então vem desenvolvendo pesquisas acadêmicas em relação à morte e ao pós-morte (representações destes momentos e o que é chamado de “sobrenatural”). Coordenou e desenvolveu pesquisas sobre judaísmo contemporâneo nos últimos 7 anos e, além de professora, tradutora e revisora, é assistente acadêmica do Labô.

Maria Cristina Mariante Guarnieri
Psicóloga, Mestre e Doutora em Ciências da Religião (PUC-SP), docente do IJEP (Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa), nos cursos de Especialização Lato-sensu em Psicologia Junguiana, Psicossomática e Arteterapia e Expressões Criativas, pesquisadora e também foi coordenadora do grupo de Judaísmo Contemporâneo do LABÔ. Autora dos livros “Do fim ao começo: falando de morte e luto para adolescente” (Editora Paulinas) e “Angústia e Conhecimento: uma reflexão a partir dos pensadores religiosos” (Editora Reflexão).

Publicações deste grupo: