Judaísmo Contemporâneo

Os temas centrais da filosofia política: liderança, poder e sua administração, sistemas de governo, justiça, ética, direitos e deveres, liberdades e seus limites, indivíduo e coletivo e a característica tensão entre perpetuar e transformar, aparecem nas fontes clássicas do pensamento judaico, porém não de forma deliberada.

A figura de Deus, os posicionamentos de Moisés, seus colaboradores e rivais, as diferenças entre reis profetas e sacerdotes, são alguns dos exemplos na narrativa bíblica que junto aos conflitos entre os sábios do Talmud e as teorias de filósofos medievais como Maimônides, serviram de base para o pensamento político judaico contemporâneo de filósofos como Martin Buber e Emmanuel Levinas.

Este grupo se proporá, em um primeiro momento, estudar as bases da filosofia política geral para visitá-las na re-leitura das fontes bíblicas, talmúdicas e medievais. Em seguida, descobertos, discutidos e aprendidas estas bases, passaremos ao estudo dos escritos de Martin Buber e de Emmanuel Levinas sobre política judaica, israelense e humanista.

Coordenação:
Ruben Sternschein
É bacharel em Educação e mestre em Filosofia Judaica pela Universidade Hebraica de Jerusalém, e também mestre em Ciências Judaicas pelo Hebrew Union College, onde recebeu sua ordenação rabínica. É doutor em Filosofia Judaica pela USP, e é rabino da Congregação Israelita Paulista desde 2008.

Andréa Kogan
É formada em Letras (Português/Inglês) e Doutora em Ciência da Religião pela PUC de São Paulo. Sua tese de doutorado foi transformada no livro “Espiritismo Judaico” (Editora Labrador). Coordenou e desenvolveu pesquisas sobre judaísmo contemporâneo nos últimos 7 anos e, além de professora, tradutora e revisora, é assistente acadêmica do Labô.

Publicações deste grupo:

Judaísmo é paradoxo

Neste mundo polarizado, talvez seja necessário voltar ao judaísmo ou recorrer a ele para aprendermos a viver em paradoxos saudáveis.