LABÔ Lectures

Pensadores Judeus – Etty Hillesum

Esther (Etty) Hillesum (15/1/1914 – 30/11/1943) nasceu em Middelburg, na Holanda e morreu em Auschwitz. Seus Diários e Cartas, escritos entre 1941 e 1943, são constitutivos de uma entrega de si mesma e de sua vida, vivida nesse período, predominantemente, no campo de trânsito de Westerbork (1942-1043). Etty cursou o ensino médio em Deventer onde seu pai era professor e, em seguida mudou-se para Amsterdã para estudar direito. Aluna brilhante, Etty estudou hebraico e línguas eslavas e, mesmo sendo impedida de concluir seus estudos, por causa da guerra, dedicou-se à literatura russa e continuou a dar aulas particulares em Amsterdã. A filosofia para a qual a narrativa pessoal de Hillesum aponta é uma filosofia de vida – filosofar entre o arame farpado e a campina, entre a sua escrivaninha em Amsterdã e o campo de Westerbork – entre a mais profunda esperança e alegria de viver e a partida para Auschwitz: Por isso, tento viver a vida à margem dos carimbos verdes, vermelhos e azuis e das listas de transporte e, de vez em quando, vou ver as gaivotas. Os seus movimentos por entre as nuvens fazem-me suspeitar de que existem leis eternas, diferente das que são feitas pelos seres humanos.

Palestra apresentada por Maria José Caldeira do Amaral
em 18 de outubro de 2021 (via Zoom)