LABÔ Lectures

Pensadores Judeus – Etty Hillesum

Esther (Etty) Hillesum (15/1/1914 – 30/11/1943) nasceu em Middelburg, na Holanda e morreu em Auschwitz. Seus Diários e Cartas, escritos entre 1941 e 1943, são constitutivos de uma entrega de si mesma e de sua vida, vivida nesse período, predominantemente, no campo de trânsito de Westerbork (1942-1043). Etty cursou o ensino médio em Deventer onde seu pai era professor e, em seguida mudou-se para Amsterdã para estudar direito. Aluna brilhante, Etty estudou hebraico e línguas eslavas e, mesmo sendo impedida de concluir seus estudos, por causa da guerra, dedicou-se à literatura russa e continuou a dar aulas particulares em Amsterdã. A filosofia para a qual a narrativa pessoal de Hillesum aponta é uma filosofia de vida – filosofar entre o arame farpado e a campina, entre a sua escrivaninha em Amsterdã e o campo de Westerbork – entre a mais profunda esperança e alegria de viver e a partida para Auschwitz: Por isso, tento viver a vida à margem dos carimbos verdes, vermelhos e azuis e das listas de transporte e, de vez em quando, vou ver as gaivotas. Os seus movimentos por entre as nuvens fazem-me suspeitar de que existem leis eternas, diferente das que são feitas pelos seres humanos.

Palestra apresentada por Maria José Caldeira do Amaral
em 18 de outubro de 2021 (via Zoom)

Leia também