LABÔ Cast

Política do diagnóstico, sentido e vazio

O LABÔ Cast é um programa de entrevistas com os coordenadores/pesquisadores do LABÔ sobre temas contemporâneos.

Autismo, TDAH, dislexia, disgrafia, discalculia, transtorno de humor, compulsão de consumo, de internet, de sexo… Para quase todo modo de ser e estar no mundo parece haver um correspondente nográfico inscrito em algum manual de psiquiatria ou catálogo de doenças.

Numa matéria publicada no jornal da universidade Montclair falando sobre o quanto o autismo se tornou financeiramente interessante, com empresas abrindo capital em bolsa de valores ao mesmo tempo em que há uma sutil migração do dia da consciência sobre o autismo para o dia do orgulho autista, estratégia que é parte de um movimento maior, chamado neurodiversidade. Nessa mesma linha, o NYT noticiou a recusa de pessoas por tratamentos e medicações em nome da diversidade, como caso de uma jovem que prefere continuar ouvindo suas vozes ao uso de medicamento.

Para que serve um diagnóstico? Que relação há entre diagnóstico, politica e capitalismo? Estamos construindo nossas identidades sobre etiquetas diagnósticas? Estamos melhorando nossa compreensão sobre o sofrimento humano? Ou o que está em jogo é apenas biopoder, biopolítica, controle de corpos? É inata nossa necessidade de classificar?

Os pesquisadores do LABÔ Carolina Rabello Padovani, Grupo de Pesquisa Comportamento Político, e Andreza Wurzba, do Grupo de Pesquisa Jung e a Filosofia da Religião vão discutir os diversos aspectos e as implicações práticas dos diagnósticos na vida cotidiana.

Episódio publicado no canal do LABÔ no YouTube em 14 de agosto de 2022